ir para o conteúdo principal
Logo Default
Porquê Portugal

Portugal: na vanguarda da investigação clínica

Portugal tem alocado esforços na criação de um ecossistema de investigação clínica vanguardista e diferenciado, com particular enfoque nos estudos clínicos

Img 03

Estudos Clínicos – Uma prioridade estratégica

Os estudos clínicos constituem uma das principais áreas estratégicas de desenvolvimento da Saúde em Portugal. Colocar Portugal entre os países mais atrativos para a condução de estudos clínicos na União Europeia, aumentando o valor criado para os doentes, para o sistema de saúde, para a academia e para a sociedade, é a visão assumida pelo Governo português para a área da investigação clínica (Resolução do Conselho de Ministros n.º 27/2018)

No âmbito do reconhecimento e apoio às infraestruturas científicas e de investigação de interesse estratégico nacional, foi criado o Roteiro Nacional das Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico. Este roteiro visa apoiar e estimular a atividade científica e tecnológica de qualidade, onde se enquadram os estudos clínicos. Clique aqui para ver o documento completo.

O nosso objetivo é criar um ecossistema otimizado que permita que a investigação clínica prospere, promovendo o acesso a tecnologias inovadoras para os nossos doentes e fomentando os melhores resultados em Saúde.

Como prioridade, pretendemos assegurar as melhores condições para os nossos parceiros implementarem os seus estudos clínicos em Portugal. Estas condições vão desde a otimização de infraestruturas, formação de equipas de investigação clínica, melhoria de processos relativos à implementação de estudos clínicos e à adoção de políticas fiscais que permitam tornar os investimentos menos onerosos.

De Portugal para o Mundo

O esforço contínuo para garantir a excelência dos centros e equipas de investigação, bem como a otimização das infraestruturas para a investigação clínica tornam Portugal um país mais atrativo para a realização de estudos clínicos.
  1. Centros e equipas de investigação clínica altamente motivadas e qualificadas

    Portugal possui diversas infraestruturas de saúde e de investigação clínica credenciadas para o desenvolvimento de estudos clínicos, desde a fase I à fase IV. Os centros estão equipados com tecnologia de ponta que permite a implementação dos estudos clínicos e o desenvolvimento das atividades clínicas diárias, análises laboratoriais e exames nas diferentes áreas terapêuticas. Em muitas instituições de saúde, as instalações médicas estão organizadas de forma a promover um equilíbrio entre a prática clínica e a investigação clínica.

    Um grande número dos nossos centros possui equipas dedicadas aos centros de investigação clínica (CICs) que seguem as boas práticas clínicas e que promovem estudos clínicos da iniciativa dos investigadores da instituição e apoiam a indústria farmacêutica na implementação dos seus estudos clínicos. As equipas de investigação clínica são altamente qualificadas e colaboram em redes de investigação europeias e mundiais com os principais investigadores de renome nas suas áreas de especialização.

  2. Áreas terapêuticas de excelência

    A oncologia e a neurologia são duas das principais áreas de excelência onde Portugal combina uma proposta de valor única de infraestruturas dinâmicas, investigadores experientes e acesso a doentes para a implementação de estudos clínicos nestas áreas terapêuticas. Poderá verificar em maior detalhe os dados epidemiológicos das principais áreas de excelência em Portugal na secção Epidemiologia.

    No que diz respeito à oncologia, existem centros de cuidados especializados nas principais áreas metropolitanas e com maior densidade populacional (Lisboa, Porto e Coimbra) que promovem o desenvolvimento de investigação clínica aliada à prestação de cuidados de saúde, possibilitando a identificação de doentes para a participação em estudos clínicos. Estes centros especializados têm também sistemas de gestão de dados que suportam as análises de viabilidade para a execução de estudos clínicos e, eventualmente, permitem o seu uso para estudos específicos, como estudos clínicos pragmáticos.

    Existem ainda doenças raras específicas com uma prevalência relativamente elevada no nosso país, como a Paramiloidose (“Doença dos Pezinhos”), em que Portugal apresenta uma população de valor único para análise.

  3. Prazos competitivos para a implementação de estudos clínicos

    Portugal tem trabalhado em estreita colaboração com as Autoridades competentes nacionais e entidades locais relevantes para garantir prazos competitivos para a implementação dos estudos clínicos a nível nacional e institucional. Sabemos que somente tendo prazos competitivos e cumprindo com os mesmos é possível ter um fluxo estável de estudos clínicos nas nossas instituições de saúde. Por essa razão, temos o compromisso de otimizar continuamente os nossos processos e reduzir potenciais barreiras e dificuldades.

    Em Portugal existe um portal centralizado – RNEC – onde as submissões de pedidos de autorização / aprovação de estudos clínicos às Autoridades competentes nacionais (INFARMED, I.P. e CEIC) podem ser realizadas online pelos promotores dos projetos de investigação clínica.

A Investigação Clínica como prioridade estratégica para o país

Nos últimos anos, tem-se observado um crescimento significativo em número e dimensão de ensaios clínicos em Portugal abrangendo diferentes áreas terapêuticas e Centros de Investigação Clínica.
Portugal em Números
  • 187
    Ensaios Clínicos submetidos em 2020
  • +9%
    Ensaios Clínicos autorizados vs. ano anterior
  • +12%
    Crescimento anual médio dos Ensaios Clínicos de Fase I (últimos 5 anos)
  • 43%
    Número de submisões relacionados com medicamentos anti-cancerígenos e imunomodeladores